Abertura de candidatura a SI “Empreendedorismo Criativo e Qualificado”

Empreendedorismo e Inovação Empresarial

 

Objetivos e prioridades visadas

O objetivo especifico deste concurso consiste em conceder apoios financeiros a projetos de Empreendedorismo Qualificado e Criativo que contribuam para a promoção do espírito empresarial facilitando nomeadamente o apoio à exploração económica de novas ideias e incentivando a criação de novas empresas.

Beneficiários

Os beneficiários dos apoios previstos no presente Aviso de concurso são empresas PME de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica, que se proponham desenvolver projetos de investimento que satisfaçam os objetivos e prioridades.

Incentivo

Taxa de financiamento base máxima de 35%, acrescida de majorações até um limite de 75%, reembolsável. Mínimo de 50.000€ de despesa elegível.

Despesas Elegíveis

  • A criação de empresas que desenvolvam atividades em setores com fortes dinâmicas de crescimento, incluindo as integradas em indústrias criativas e culturais, e ou setores com maior intensidade de tecnologia e conhecimento;
  • A criação de empresas que valorizem a aplicação de resultados de I&D na produção de novos bens e serviços;

Outside-Outsourcing de Serviços

Abertura candidatura SI “Inovação Produtiva”

                                                

 Out - outsourcing estreito                                             Logo_Portugal_2020_Cores

 

 

Concurso a incentivos “Inovação Produtiva”

 

Objetivos e prioridades visadas

O objetivo específico deste Aviso consiste em conceder apoios financeiros a projetos que contribuam para o aumento do investimento produtivo em atividades inovadoras (melhorias significativas no produto, processo, métodos organizacionais e marketing), promovendo o incremento da produção transacionável e internacionalizável e a alteração do perfil produtivo do tecido económico.

Taxas de Financiamento

Taxa de financiamento base de 35% a qual poderá ser acrescida de majorações até um máximo de 75%. Este apoio é reembolsável, ou seja, é um empréstimo sem juros ou outros encargos. Para projetos de pequenas empresas com investimento inferior a 5 milhões de euros, é acrescida uma majoração de 25 p.p. pelo que regra geral a taxa será de 60%. Prazo de pagamento total de 8 anos, com 2 anos de carência e 6 anos de pagamentos semestrais.

Mínimo de 75.000€ de despesa elegível.

Despesas elegíveis

São consideradas como elegíveis as despesas com:

  • Máquinas e equipamentos;
  • Equipamentos informáticos;
  • Despesas de construção* – Turismo e Industria;
  • Software standard ou específico;
  • Licenças e transferência de tecnologia através de aquisição de direitos de patentes;
  • Estudos, projetos diagnósticos, auditorias e planos de marketing;
  • Participação em ações de formação.

*As despesas com construção estão limitadas a 35% do investimento total elegível para empresas com CAE industrial e têm de ser devidamente justificadas no âmbito do projeto.

Ainda estão abertas as inscrições para os Concursos de Empreendedorismo da Acredita Portugal

inscrições acredita portugal

A Acredita Portugal está a preparar a 6ª edição dos Concursos de Empreendedorismo, com inscrições gratuitas a decorrer até dia 22 de Janeiro.

São disponibilizados mais de 500.000€ em prémios e 50.000€ em investimento, divididos por dois perfis de concurso:

  • Realize o Seu Sonho para ideias nas áreas de comércio e serviços, indústria e empreendedorismo social.
  • InovPortugal para projetos de rutura, inovação tecnológica e ambição global.

O processo é simples e está dividido por várias etapas, abordando de negócios. O processo é muito simples, está dividido em várias etapas, abordando oportunidades de negócio, testes de conceito, planos de marketing e financeiros, sempre com o recurso a vídeos tutoriais, exemplos e glossário.

Aproveite e inscreva-se aqui!

As estatísticas do PT2020 no Norte

compete2020melhor

Na fase final de mais um ano, decidimos fazer um levantamento das estatísticas dos projetos individuais aprovados para apoios financeiros do Compete2020, atualizados a 3/12/2015.

Começando pelos Vales, foram aprovados 278 vales nas áreas da competitividade e internacionalização, 179 vales na área da inovação e 63 na área da investigação e desenvolvimento tecnológico, perfazendo um total de incentivo de 7.164.774,04€.

Neste momento os Vales Internacionalização, Inovação e Empreendedorismo encontram-se suspensos, continuando em atividade apenas o Vale I&DT.

Inovação Produtiva (reembolsável – 50% a 75%):

No SI “Inovação Produtiva” foram aprovados 113 projetos, com:

Investimento total elegível: 125.415.217,80

Investimento médio: 1.109.560,33

Esta concurso tem um limite mínimo de investimento elegível de 75.000,00€, sendo que o projeto aprovado com investimento mais baixo foi de 161.714,03.

Qualificação e Internacionalização PME (não reembolsável em 45%):

Nº de projetos aprovados: 372

Investimento médio: 310.664,87€

Investimento total elegível: 115.567.332,22€

Projeto aprovado com investimento elegível mais baixo: 27.900,00€ (o projeto carece de um investimento mínimo elegível de 25.000,00€).

Empreendedorismo (reembolsável – 50% a 75%)

Nº de projetos aprovados: 7

Investimento total elegível: 5.326.472,65€

Projeto aprovado com investimento elegível mais baixo: 130.650,00€ (mínimo possível de 50.000,00€)

Investigação e Desenvolvimento Tecnológico (não reembolsável até investimento de 1.000.000,00€) 

Nº de projetos aprovados: 2

Investimento total elegível: 1.056.013,21

Projeto aprovado com investimento elegível mais baixo: 167.808,18€.

É de notar que as médias de investimento dos projetos  são bastante superiores ao limite mínimo, no entanto os projetos mais humildes também conseguem ter acesso a alguns fundos, pelo que o mérito dos projetos mais humildes pode ser superior aos mais ambiciosos, se demonstrarem lógica, coerência e o devido enquadramento nas tipologias de investimento.

 

 

 

 

 

Incentivo à eficiência energética

O desenvolvimento da sociedade tende a potenciar as suas necessidades de consumo de energia. De modo a contrariar esta tendência, serão abertos concursos no sentido de promover a eficiência energética nas empresas. logo-horizontal-150px

Além dos benefícios ambientais inerentes à implementação de sistemas promotores de eficiência energética, as empresas têm todo o interesse em investir em na redução do desperdício de energia e na utilização de energias renováveis para autoconsumo. A implementação de sistemas de eficiência energética são uma mais-valia importante na redução da fatura energética, especialmente nas indústrias em que existe uma necessidade intensa e constante de energia.

Assim, poderão são elegíveis a incentivo os projetos que visem a implementação de ações para o aumento “eficiência energética
e a utilização de energias renováveis para autoconsumo
nas empresas, contribuindo assim para a promoção da
eficiência energética das empresas e para o aumento da
competitividade da economia através da redução da fatura
energética ” (Art. 21º, Portaria n.º 57-B/2015, de 27 de fevereiro).

Tipologia das operações (Art. 22º)

  1. Intervenção nos processos produtivos das empresas que se encontrem previstas na auditoria ou estudo de eficiência energética e que demonstrem os respetivos ganhos financeiros líquidos, sendo nomeadamente as seguintes:
    -Otimização e instalação de tecnologias e sistemas energeticamente eficientes ao nível dos processos produtivos;
    -Otimização e instalação de tecnologias e sistemas energeticamente eficientes ao nível de sistemas de suporte aos processos produtivos, entre os quais se salientam as centrais de ar comprimido, geradores de vapor, caldeiras, instalações frigoríficas, iluminação, entre outros;
    -Intervenções na envolvente opaca de edifícios climatizados ou refrigerados, com o objetivo de proceder à instalação de isolamento térmico em paredes, pavimentos e coberturas, e assim potenciar reduções do consumo de energia;
    -Intervenções na envolvente envidraçada de edifícios climatizados ou refrigerados, nomeadamente através da substituição de caixilharia com vidro simples, e caixilharia com vidro duplo sem corte térmico, por caixilharia com vidro duplo e corte térmico, ou solução equivalente em termos de desempenho energético, e respetivos dispositivos de sombreamento;
    -Intervenções nos sistemas técnicos instalados, através da substituição dos sistemas existentes por sistemas de elevada eficiência, ou através de intervenções nos sistemas existentes que visem aumentar a sua eficiência energética;
    -Intervenções ao nível da implementação de sistemas de gestão técnica de energia, enquanto ferramentas de gestão operacional capazes de induzir economias de energia nos equipamentos por estes monitorizados e geridos;
    -Aquisição de veículos elétricos ou de veículos com motorização a gás natural veicular, comprimido ou liquefeito, desde que não aumente a dimensão da frota;
    -Conversão de veículos próprios para gás natural veicular, comprimido ou liquefeito.
  2. Intervenções ao nível da promoção de energias renováveis nas empresas para autoconsumo, desde que façam parte de soluções integradas que visem a eficiência energética nas quais se inclui:
    -Instalação de painéis solares térmicos para produção de água quente sanitária;
    -Instalação de sistemas de produção de energia para autoconsumo a partir de fontes de energia renovável.
  3. Auditorias, diagnósticos e outros estudos e trabalhos necessários à realização do investimento, desde que não sejam obrigatórios por lei, bem como a avaliação «ex-post» independente que permita a avaliação e o acompanhamento do desempenho e da eficiência energética do investimento.

 Taxa de financiamento (Art. 25º alínea f), 26º, 27º)

Para o POR Norte, a taxa de financiamento é de 70%, reembolsável, com exceção de estudos, planos e projetos, diagnósticos, auditorias energéticas, atividades preparatórias e acessórias, em que o incentivo reveste a forma de não reembolsável, se diretamente ligadas à operação até um máximo de 5% dos investimento total.

 

Portugal 2020 – Aproxima-se uma nova fase de candidaturas.

Está prevista para o início do ano 2016, a abertura de uma nova fase de concursos para o cofinanciamento de projetos Logo_Portugal_2020_Coresindividuais, no âmbito dos sistemas de incentivos (SI) seguintes:

  • Qualificação PME
  • Internacionalização PME
  • Inovação Produtiva
  • Empreendedorismo Qualificado e Criativo

Os SI “Qualificação PME” e “Internacionalização PME” são direcionados para o aumento de competitividade das PME, através de investimentos realizados em domínios imateriais, nomeadamente para o apoio à gestão e organização, planos de negócio e marketing, e promoção internacional.Os incentivos tomam forma não reembolsável, em 45%, e carecem de um investimento superior a 25.000€ para satisfazer as condições de elegibilidade.

Por outro lado os SI “Inovação Produtiva” e “Empreendedorismo Qualificado e Criativo” focam-se na produtividade de inovação – através da introdução de novos produtos, processos e métodos de marketing e/ou organizacionais com melhorias significativas – com o financiamento de investimentos em domínios materiais, como aquisição de máquinas e equipamentos. Nesta situação o incentivo toma forma reembolsável, através da aplicação de uma taxa base de 35%, acrescentada de majorações até um limite de 75%, às despesas elegíveis. Existe a possibilidade de isenção em 50% do reembolso, dependendo do grau de superação das metas estabelecidas pela empresa na candidatura. No entanto há risco, sendo que caso as metas não sejam atingidas, poderá ser exigida a antecipação do reembolso, total ou parcial, de acordo com o grau de inconformidade com as metas estabelecidas, em candidatura. O limite mínimo de investimento é de 50.000€ (Empreendedorismo Qualificado e Criativo) ou 75.000€ (Inovação Produtiva).